Merged Mining — O Que É e Qual é a Sua Importância no Mercado de Criptomoedas

Com o aumento da procura pelas criptomoedas e de investidores nesse meio, constantemente surgem novas formas de obter vantagens e maximizar não apenas o lucro, mas também a quantidade de esforço utilizada. Foi assim que surgiu a técnica do merged mining, que tem o objetivo de utilizar o trabalho de uma mineração para outras moedas.

Quer entender melhor e que é, como funciona e sua importância para o mercado? Então confira as principais informações que a NovaDAX selecionou sobre o assunto!

O que é merged mining?

A merged mining — “mineração combinada”, em português — é uma prática que se torna cada vez mais usual entre os profissionais responsáveis pela mineração de blocos de criptomoedas, em especial as que utilizam o sistema de Proof of Work, como é o caso do Bitcoin.

Também conhecida como prova de trabalho auxiliar, a técnica tem como objetivo utilizar o mesmo esforço para minerar duas criptomoedas diferentes. Desta forma, o esforço é apenas um e a possibilidade de encontrar uma cadeia de blocos válida é dobrada.

Como funciona a mineração combinada?

Afinal, se são criptomoedas diferentes e que possuem blocos também diferentes, como é possível fazer as transações de forma conjunta? Apesar de parecer complicado, o merged mining utiliza as semelhanças que cada uma dessas moedas possui em relação à outra para poder funcionar.

Para isso, é preciso utilizar uma mineração primária, que será utilizada como base. Depois, basta escolher uma criptomoeda que utilize o mesmo algoritmo. Para exemplificar, este é o caso do Bitcoin e Namecoin, pois ambos utilizam o hash SHA-256 para poder minerar. Outra dupla bastante usada é a do Litecoin com o Dogecoin.

Além disso, o funcionamento também depende de dois pontos importantes: o blockchain primário deve aceitar a entrada de dados em seu cabeçalho e o secundário deve incluir uma lógica de verificação que prove que o trabalho foi feito por meio da cadeia primária. 

Depois de encontrar a solução das equações da mineração combinada, o profissional pode encontrar três resultados diferentes de acordo com a dificuldade:

  • baixa: não consegue resolver para ambas as moedas;
  • média: é capaz de validar apenas uma das cadeias, geralmente a secundária; 
  • alta: é o suficiente para causar a validação de ambas as cadeias.

Gostou de saber como funciona o merged mining? Então confira mais artigos sobre o mercado de criptomoedas aqui no blog da NovaDAX!

Compartilhar

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas