Bitcoin e Outras Criptomoedas Seriam Alternativas à Inflação?

A economia funciona de acordo em ciclos, o que pode gerar resultados tanto positivos quanto negativos. A alta generalizada de preços e a desvalorização súbita de uma moeda real podem trazer prejuízo à população e aos setores econômicos, gerando períodos de recessão. Por conta disso, iniciou-se uma especulação em alternativas para a superar a inflação: Bitcoin e outras criptomoedas podem ser o caminho.

Quer entender como? Então veja só este artigo!

Como acontece a inflação?

A inflação se dá quando há um aumento progressivo de preços em taxas superiores às registradas anteriormente e que não acompanham os índices de desenvolvimento econômico do país. Além disso, também representa a diminuição do poder de compra da população. Existem três formas diferentes de isso acontecer:

  • custos: quando os valores aumentam porque o custo de produção ficou mais alto — seja para a extração da matéria-prima, obtenção de máquinas ou uso de tecnologia;
  • demanda: a alta de preços acompanha a grande demanda por determinado produto, que não está suficientemente disponível para suprir a procura;
  • monetária: o dinheiro real em circulação está em excesso.

Alternativas à inflação: Bitcoin e outras criptomoedas

Todos os países estão sujeitos a passar por períodos de inflação, uma vez que este é um processo previsto dentro do sistema econômico vigente. Entretanto, quando as taxas inflacionárias são muito altas, é ainda mais difícil para o mercado financeiro se reestabelecer, passar pela deflação e, então, ficar estabilizado. 

Setores econômicos de diversos países, como o Irã, as Filipinas e a Venezuela, passaram a buscar algumas alternativas para resolver a questão da inflação: Bitcoin e as demais criptomoedas estão sendo usadas para reduzir a quantidade de dinheiro emitido em circulação e, assim, conseguir buscar a redução dessas taxas.

Isso porque, ao utilizar as moedas digitais para fazer transações financeiras, a necessidade de usar o dinheiro físico é reduzida e, portanto, a sua emissão é desacelerada. 

Além disso, elas têm a vantagem de serem imunes à inflação: o Bitcoin e outras criptomoedas foram desenvolvidas em um sistema de mineração limitado, de modo que não é possível fazer a sua produção deliberada e colocá-las em circulação — diferentemente do que acontece com as moedas feitas em um Banco Central.

Gostou de saber como o Bitcoin e as demais criptomoedas podem ser ótimas alternativas para o setor econômico se recuperar da inflação? Então não deixe de ler outros artigos aqui no blog da NovaDAX!

Share

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas