Mineração de Criptomoedas – Como funciona?

As moedas digitais contam com processos de criação diferentes das físicas, uma vez que elas circulam apenas no espaço on-line. Para a sua formação e validação das transações dentro de uma cadeia de blocos (blockchain), portanto, é utilizada um conjunto de técnicas conhecidas como mineração de criptomoedas.

Entretanto, quem se interessou há pouco tempo pelas moedas digitais pode ter muitas dúvidas sobre como é o funcionamento deste processo. Se você quer entender um pouco mais, confira este artigo que a NovaDAX preparou!

O que é a mineração de criptomoedas?

A mineração de criptomoedas recebe este nome pois segue o mesmo conceito da captação de recursos naturais para transformá-los em elementos comerciáveis, como no caso do ouro e da prata.

O principal objetivo deste processo é fazer com que as moedas digitais sejam escassas. Desse modo, para encontrá-las e colocá-las dentro do circuito financeiro, é preciso passar por diversas etapas.

Isso porque os códigos de criptomoedas não poderiam, apenas, ser colocados no mercado. Simular a escassez dos recursos naturais é importante, então, para regular a sua cotação e valor comercial, da mesma forma que acontece com o ouro e a prata.

O Bitcoin, por exemplo, foi lançado com um número máximo de 21 milhões de códigos criptográficos. A estimativa, entretanto, é que pouco mais 2 mil tenham sido minerados e estejam em circulação.

Como funciona a mineração de criptomoedas?

O processo de mineração de criptomoedas pode variar bastante, pois cada uma delas conta com características diferentes. Entretanto, todas elas necessitam de algum especialista para realizar este trabalho, de modo que ele não pode ser feito por qualquer pessoa. Os conhecimentos necessários para isso estão relacionados às ciências da computação e à engenharia.

Inclusive, tenha cuidado! Para fazer a mineração é preciso contar com uma alta tecnologia de processamento, pois este procedimento gera um grande esforço para o computador. As máquinas caseiras não dão conta, de modo que apenas profissionais que tenham equipamentos mais potentes conseguem fazê-lo. Isso acontece para evitar fraudes e crimes cibernéticos.

Antigamente, se usava o método de mineração de criptomoedas com CPU diretamente pelos investidores, porém ela se tornou impossível devido às questões de processamento já citadas. As técnicas mais utilizadas são: contratação de centros profissionais ou através da nuvem.

Seguindo o exemplo do Bitcoin, que é a mais popular, os blocos podem ser minerados de forma linear, pois eles funcionam em cadeia. É preciso encontrar a hash, que é a chave para descriptografar cada bloco para poder, então, validá-lo. Quando um bloco válido é encontrado, o minerador recebe uma recompensa de 12,5 bitcoins.

Entendeu como funciona a mineração de criptomoedas? Então não deixe de ler outros artigos da NovaDAX!

 

Share

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas